Você que cruza por esta movimentada avenida já imaginou que os desenhos e pinturas das pequenas pontes sobre o rio foram feitos de ponta cabeça?

 

Passarelas sobre o rio Carahá pintadas no estilo grafite chama atenção de quem passa pela avenida Belizário Ramos no trecho que se estende entre os cruzamentos desta via  com a Marechal Deodoro e a Duque de Caxias. As pinturas com desenhos bem delineados e coloridos quebram a monotonia urbana marcada apenas pelo movimento veloz e constante dos veículos automotores.

Os desenhos que adornam as laterais dessas pequenas pontes de concreto foram feitos de ponta cabeça, ou seja, sem a utilização de escadas ou andaimes instalados sobre o leito do rio Carahá. Além da tinta spray os desenhos foram feitos também com pincéis e rolos, uma mescla de materiais utilizados.

O autor deste trabalho, Everton Oliveira Fegueiró, 38 anos, conta que inicialmente pintou três passarelas. “Recebi apoio e incentivo do vice-prefeito, Juliano Polese, e depois foi firmada parceria com Supermercados Martendal, CDL e a Semasa. O patrocínio que recebi foi suficiente para cobrir as horas trabalhadas e o material utilizado nas pinturas”, diz o artista.

“Depois disso pintei outras três passarelas e agora pretendo concluir este trabalho, pintando as outras cinco passarelas existentes sobre o rio Carahá e que interligam ambas as pistas da avenida Belizário Ramos até imediações da ponte do cruzamento com a Dom Pedro II”, fala Everton.

O artista disse que com a pandemia o trabalho foi paralisado e que agora ele pretende voltar a pintar, aguardando apenas o retorno da ACIL e da Flex para as quais apresentou seu projeto de arte contemporânea e popular-urbana.

O artista começou como grafiteiro aos 16 anos e logo em seguida entrou para a faculdade de Artes Visuais, na Uniplac. Por duas vezes trancou a faculdade e por fim não concluiu o curso. Mas apesar disto não desistiu da arte. “A faculdade me deu parte da teoria, mas a prática foi por conta própria. A experiência veio com o tempo e o trabalho realizado”, argumenta Everton.

Hoje ele sobrevive da arte que produz. Faz desenhos, letreiros de placas e fachadas comerciais, pintura artística e decorativa de ambientes. Só no instagram (@everton.figueiro), o artista já têm mais de 700 pinturas divulgadas.