A dispensa está cheia: Hortifrutigranjeiros, salames, mel, melado, geleias e doces, chás, Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANCs), grãos, pães, bolachas e cucas e até artesanato em pano e crochê

 

As Feiras da Agricultura Familiar, apoiadas pela prefeitura, através da Secretaria da Agricultura e Pesca, influenciam cada vez mais a população a consumir produtos de hortifruti frescos, além de bolachas e pães com feitio direto das propriedades rurais. Promovidas toda semana a partir de artigos cultivados na terra e colhidos poucas horas antes, do campo para a mesa das famílias, as Feiras da Agricultura Familiar são paixões assumidas pelos serranos, pois o trabalho na lavoura é peculiar ao interior da Serra Catarinense.

E quem não gosta de unir o útil ao agradável? Sabor aguçado de verdade e economia no bolso? “Os produtores têm sempre o cuidado de oferecer alimentos saudáveis à venda por preços acessíveis, assegurando uma refeição colorida e cheia de nutrientes”, salienta a engenheira agrônoma da Secretaria da Agricultura e Pesca, Josie Moraes Mota, que acompanha o trabalho dos agricultores.

Nas Feiras da Agricultura Familiar são comercializados hortifrutigranjeiros, salames, mel, melado, geleias e doces, chás, Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANCs), grãos, pães, bolachas e cucas, artesanato em pano e crochê, todos produzidos pela agricultura familiar. As hortaliças são orgânicas. Participam destas feiras 18 famílias dos municípios de Lages - localidades Santa Terezinha do Salto, Santa Terezinha do Boqueirão e Morro do Posto - e também de Correia Pinto, Capão Alto e Bocaina do Sul.

As feiras são realizadas às terças-feiras no Parque Jonas Ramos (Tanque), às quartas-feiras no Largo da Catedral Diocesana, ambas organizadas pela Secretaria Municipal da Agricultura e Pesca, e às sextas-feiras é a vez da Feira da Economia Solidária, na Praça Vidal Ramos Sênior, ao lado do Terminal Urbano, todas estas no horário das 8h às 17h. A Feira da Agricultura Familiar, realizada em frente ao Estádio Municipal Vidal Ramos Júnior, aos sábados, entre 8h e 13h, é organizada há mais de dez anos pelos próprios agricultores, com estruturas doadas pela Secretaria Municipal da Agricultura e Pesca no início de sua implantação. As feiras realizadas no Centro de Ciências Agroveterinárias (CAV) e na Universidade do Planalto Catarinense (Uniplac) são organizadas por outras instituições.

A Secretaria da Agricultura e Pesca presta suporte técnico às feiras e entende sua atribuição de cidadania. “Ao pensar na importância da alimentação rica em hortifrutis, é preciso analisar a ideia em termos de instigar mudanças de costumes alimentares para proporcionar mais qualidade de vida a ser encontrada nas casas das famílias lageanas, principalmente para a prevenção de doenças, e por que não falar em viver com longevidade? E que as pessoas sintam-se entusiasmadas em conhecer as Feiras da Agricultura Familiar e a trajetória destes trabalhadores, e levar embora um alimento sem agrotóxico e o colonial, pois os doces, assim como são experiências degustativas diferentes dos industrializados, que todos apreciam, trazem memórias afetivas da vida no sítio, dos avós, da simplicidade”, justifica o secretário da Agricultura e Pesca, Thiago Cordeiro.

Texto: Daniele Mendes de Melo, com colaboração de Robinson Spuldaro

Fotos: Secretaria da Agricultura e Pesca/Divulgação