O laboratório central (Lacen) de Santa Catarina tem cerca de 11 mil testes de PCR para diagnóstico de Covid-19 aguardando resultados. É o maior número desde março. Segundo a Defensoria Pública do Estado (DPE), a demora impacta em medidas eficientes de controle da pandemia e por isso pediu informações ao Estado. São mais de 70 mil casos já confirmados e 924 pessoas que morreram pela doença.

“Se esse número de exames em atraso continuar crescendo exponencialmente como nas últimas semanas, em breve vai ser impossível l ter uma verdadeira dimensão da pandemia em Santa Catarina, dificultando as decisões do gestor público”, explica o defensor público Fernando André Pinto de Oliveira Filho.

Santa Catarina tem uma das maiores médias móveis de mortes no país. De 16 regiões de saúde, nove estão em situação gravíssima por causa do coronavírus

Segundo o Estado, o aumento da demanda é a causa para esses exames represados. A média de exames em junho era de 650 por dia e em julho subiu para 2,5 mil amostras diárias.

Mas a Defensoria Pública considerou a justificativa insuficiente e está pedindo mais explicações através de oficios ao laboratório e para a Secretaria de Estado da Saúde com detalhes sobre as causas do aumento e as soluções propostas.

 

Equipamento enviado pela Fiocruz, que deve aumentar a liberação de exames em 70% e estava previsto para instalação semana passada, tem nova previsão e deve começar a processar testes esta semana.Ainda segundo a Secretaria de Estado da Saúde, parte dos exames estão sendo enviados para Centros de testagem criados pelo Ministério da Saúde no Rio de Janeiro e Paraná.

 

 

Por NSC TV