Mais de 1,7 mil novos estudantes chegaram esta semana à universidade em São Carlos (SP). Atividades têm objetivo de gerar impacto social na cidade e integração com os veteranos

 

Doação de sangue e cabelo e revitalização de creche foram algumas das atividades do trote solidário para os novos estudantes da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

Mais de 1,7 mil calouros chegaram à universidade este ano. As aulas começaram na segunda-feira (9) e até esta quarta-feira (11) foi realizada a calourada, que é a recepção dos calouros com atividades para que eles tenham integração com o campus da universidade e com os veteranos.

Doação de sangue e cabelo

A Atlética da UFSCar organizou uma doação coletiva de sangue, em parceria com o Banco de Sangue da Santa Casa e a Suzantur que ofereceu um ônibus para levar os estudantes para a coleta. O resultado foi cerca de 50 bolsas de sangue.

\'É um impacto social muito grande e é isso que motiva o nosso trabalho\", afirmou a diretora da Atlética Thamirys Oliveira.

Já no campus da UFSCar a doação foi de cabelo. Em poucas horas, foram cortadas dezenas de mechas que serão enviadas para a Rede Feminina de Combate ao Câncer para serem transformadas em perucas para mulheres com câncer.

“Poder trazer um pouco de autoestima para essas mulheres é o essencial dessa ação Todo mundo que está doando está pensando nisso ”, afirmou a integrante da atlética da UFSCar, Laura de Oliveira Hello.

\"Fico mais feliz por poder ajudar uma causa nobre com o meu cabelo. A vaidade não interessa nessas horas, o importante é ajudar\", disse o estudante de ciências da computação Lucas Acioli, que mudou completamente o visual para doar o cabelo.

Os alunos do curso de Engenharia Civil levaram cor e alegria para a creche Padre Teixeira, que fica no bairro Vila Nery. Eles pintaram desenhos de animais e árvores nos muros e criaram decoração com o reaproveitamento de pneus e tubos de PVC velhos.

“Eu não esperava esse trote. Eu esperava só ser pintado, não pintar as coisas”, brinca o estudante Leonardo Courel. “Esse trabalho voluntário de ajudar as crianças é muito importante.”

“A gente conheceu um pouco mais sobre a cidade e o contato com instituições beneficentes da cidade acaba se tornando uma sementinha sobre trabalho voluntário”, afirmou o estudante Gabriel Melo Gois.

Por EPTV2