A confraternização de final de ano dos associados e convidados da Associação e Sindicato Rural de Lages, desta vez, também empossou os membros da diretoria para o quadriênio 2020/23. Cerca de 600 pessoas prestigiaram o ato seguido de jantar junto ao Parque Conta Dinheiro, na noite desta terça-feira (17). Coube ao vice-presidente da Federação da Agricultura do Estado de Santa Catarina (FAESC), Enori Barbiere, declarar oficialmente empossada a nova diretoria, na companhia de outro dirigente da Federação, Marcos Pagani, e do vice-prefeito Juliano Polese.

Foi uma solenidade rápida. Apenas o presidente reeleito Márcio Cícero Neves Pamplona fez uso da palavra. Ele justificou a razão que o levou a aceitar permanecer no cargo. Segundo ele, primeiramente para seguir representando a classe produtora, em lutas ainda não terminadas. É o caso dos processos resultantes das notificações do Instituto do Meio Ambiente (Ibama), que, embora a entidade sindical tenha conseguido suspender as multas, o processo ainda não está encerrado. Portanto, precisa trabalhar para que sejam todos arquivados. Márcio ainda se referiu a outra situação, em que o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), está tentando fazer com que vários pontos estratégicos da Coxilha Rica, incluindo, o Passo Santa Vitória, sejam tombados. Uma medida que poderá resultar na frustração do desenvolvimento de toda uma região.