A fábrica da cerveja artesanal lageana Princesa da Serra terá um investimento de R$ 1 milhão na sua ampliação, passando da produção de cinco mil litros por mês para 20 mil litros mensais. A reunião entre os proprietários da Cervejaria, Eli Fernando Zanin e James Branco; o vice-prefeito, Juliano Polese; o secretário da Administração e Fazenda, Antonio Cesar Arruda, e o executivo de Turismo da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Luís Carlos Pinheiro Filho, foi realizada na manhã desta quarta-feira (10 de julho), na prefeitura.

O projeto de expansão da Cervejaria Artesanal Princesa da Serra, foi apresentado nesta ocasião. A previsão de realização dos primeiros testes é para agosto, com a conclusão da instalação das máquinas provenientes de Bento Gonçalves (RS). A inauguração está prevista para meados de novembro, em comemoração ao aniversário de 253 anos de Lages e da própria marca da Cerveja.

Com características modernas, o projeto arquitetônico proporcionará uma experiência única com a cerveja artesanal na Serra Catarinense, além do Restaurante Galpão Capão do Cipó, destino gastronômico já consolidado com pratos típicos de truta e tilápia, oferecidos no rústico ambiente na avenida Bruno Luersen, bairro Vila Mariza. O vice-prefeito, Juliano Polese, salienta que, “ao fortalecer e ampliar o setor se consolida o mercado da cerveja artesanal como um produto turístico para Lages e a região da Serra Catarinense”.

Conheça melhor a Cerveja Princesa da Serra

A Cerveja Princesa da Serra é uma microcervejaria que iniciou suas atividades no final de 2016 produzindo em torno de três mil litros por mês, e buscando atender à demanda de consumo de cervejas especiais para o Restaurante anexo à fábrica. O nome Cerveja Princesa da Serra se deu em homenagem a Lages, que ostenta o título de Princesa da Serra Catarinense.

Este ano, a Princesa da Serra de Lages foi premiada com medalha de ouro no VII Concurso Brasileiro de Cervejas, em Blumenau, evento considerado o Oscar da cerveja brasileira. A cerveja premiada foi a Weizen Galpão do Cipó. O evento fez parte do 11ª edição do Festival Brasileiro da Cerveja.

A cerveja que utiliza o símbolo da região em seu gosto

O empresário Anderson Fabiano Varela é responsável pela Frostbier, a primeira cerveja artesanal da Serra Catarinense e precursora no mundo a utilizar o pinhão em sua composição. Há 12 anos, Fabianinho, como é conhecido, produz cervejas artesanais e há uma década iniciou os experimentos com o pinhão. Atualmente, produz de seis a oito mil litros ao mês em cinco variedades de cerveja: Pilsen, Weiss, American Pale Ale (com maracujá), India Pale Ale (com pitanga) e German Pilsner, todas feitas com pinhão. “Atualmente a Frostbier é vendida em todo o país, levando o nome de Santa Catarina a lugar de destaque nacional pela produção da cerveja de pinhão”, ressalta.

A Boava bier iniciou suas atividades no início de 2017, atualmente com um rótulo o German pils onde se consagrou com a medalha de ouro no concurso brasileiro de cerveja de 2018 em Blumenau. Hoje após esse período possui um novo rótulo o estilo Catharina Sour Maçã, a primeira cerveja com maçã da cidade da neve, no intuito de valorizar a cultura da maçã e também a cidade de São Joaquim.

Texto e fotos reunião: Henrique Beling