Um grande outdoor vermelho do Fort Atacadista já pode ser visto à beira da avenida Belizário Ramos (Carahá), ao lado da Casa de Apoio Colibri, sentido bairro Triângulo, alimentando as expectativas da população lageana e de consumidores regionais em ter proporcionada mais uma opção de compras, estimulando a competitividade leal e o giro da economia. O Fort Atacadista já realizou todos os levantamentos, tais como sondagem e planialtimétrico (descrição do terreno com exatidão, em que são anotadas medidas planas, ângulos e diferenças de nível - inclinação) e outros projetos de topografia no terreno.

Neste momento, de acordo o gerente nacional de Galerias do Fort, Cristiano Abrahão Caron, a empresa aguarda apenas as autorizações e aprovação dos projetos por parte da prefeitura. A construção começará assim que os alvarás e demais autorizações sejam concedidos pela prefeitura e demais órgãos competentes. Então a empresa dará início ao projeto e execuções de imediato.

De acordo com a Secretaria de Planejamento e Obras, o projeto está sendo ajustado pela empresa depois de feita uma pré-análise por parte da Secretaria com orientações das alterações necessárias. A consulta de viabilidade já foi realizada, com aprovação, pois esta é a ordem dos procedimentos.

As áreas de Expansão e Engenharia Fort Atacadista estão prontas para o início breve dos trabalhos. O plano de trabalho para o empreendimento sinaliza um período total de cinco meses de obras. A previsão do início da operação é para o primeiro semestre de 2019.

A norma e a política da empresa são de sempre que possível contratar empresas da cidade e região na mão de obra de construção. Este empreendimento terá estacionamento coberto, espaços modernos para exposições das mercadorias de fornecedores nacionais e regionais e facilidade para os clientes no ato da compra.

A área total a ser edificada será de aproximadamente dez mil metros quadrados, somente pavimento térreo. A área do terreno possui 21.500 metros quadrados. Em seu projeto inicial, o Fort Atacadista Lages contará com mais de 260 vagas de estacionamento, 24 corredores, açougue, seção de hortifruti, 23 check-outs de atendimento, iluminação em LED e terá um sortimento amplo e completo de mercadorias das seções de mercearia, bebidas, perecíveis e bazar para os clientes. Nesta unidade não haverá lojas de apoio, mas sim a mais recente novidade da rede, farmácia.

O Fort oferecerá mais de dez mil itens e se compromete com os consumidores de antemão. “Teremos os melhores produtos com as melhores marcas, com o melhor preço do mercado. Vamos entregar para a cidade de Lages uma das maiores e melhores lojas da rede. Lages é uma grande e próspera cidade, além de ser um polo da região, por isto os investidores/proprietários (Grupo Pereira) escolheram este município para instalar uma unidade inédita na Serra”, pontua Cristiano. Serão investidos R$ 35 milhões em terreno, obras e equipamentos.

250 postos de trabalho diretos

Serão oferecidos em torno de 500 postos de trabalho, sendo 250 empregos diretos e 250 indiretos. Entre as funções estão repositores, operadores de caixa, fiscal de prevenção, monitores e cozinheira. Os benefícios são refeitório para os funcionários, plano de saúde para colaboradores com mais de seis meses de emprego, vale transporte e carão desconto para funcionários que efetuarem compras na empresa, entre outros.

A equipe de Recursos Humanos (RH) irá se deslocar para Lages com 90 dias de antecedência da abertura da loja, visando à abertura dos trabalhos iniciais de levantamento de profissionais para contratação. O apoio das empresas de serviços e mão de obra local deverá auxiliar o Fort neste processo.

O Banco do Emprego, da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Turismo, disponibiliza seu trabalho de cadastro de candidatos, pré-seleção em conformidade aos critérios e perfil estabelecidos pela empresa, encaminhamento para entrevistas de seleção, e cessão de auditório e salas individuais para recrutamento. “A parceria entre o Fort e a prefeitura é fundamental para o desenvolvimento, crescimento, geração de novos empregos e ampliação da atividade econômica da região”, justifica Caron.

Foto e texto: Daniele Mendes de Melo - Ascom/PML