Articulado numa rede estadual de 13 Centros de Inovação, o Órion Parque foi o primeiro de todos inaugurado, há cerca de dois anos. A ideia de parques e Centros de Inovação, como esses, é fomentar a articulação regional, desenvolvendo ações conjuntas que fomentem o empreendedorismo, a inovação e a integração regional.

A Associação de Tecnologia e Centros de Incubação de Negócios da Alemanha (ADT) define um Centro de Inovação como um empreendimento baseado em infraestrutura para estabelecimento e crescimento de empresas. Objetivos relacionados incluem o desenvolvimento da região, cooperação entre pesquisadores e indústria, fornecimento de informações, treinamento técnico e gerencial e fortalecimento do desenvolvimento econômico regional através de uma rede de contatos regional e internacional para troca de informações e cooperação entre empresas.

Nessa proposta, uma comitiva de representantes do Centro de Inovação de Jaraguá do Sul – inaugurado há pouco mais de um mês e o segundo da rede a entrar em operação no estado – visitou o Centro de Inovação Luiz Henrique da Silveira e o Órion Parque Tecnológico, em Lages.

A proposta da visita foi realizar um intercâmbio de ideias e ver boas práticas realizadas, que podem ser replicadas na cidade do norte catarinense.  

“Inauguramos o Centro de Inovação de Jaraguá do Sul há pouco tempo. O Centro de Inovação de Lages está muito à frente. Viemos ver as melhores práticas e ver o que podemos absorver e, talvez, trabalhar em conjunto”, comentou o diretor-executivo do Centro de Inovação de Jaraguá do Sul, Robert Burnett.

Na visão do diretor, o Órion é um case de sucesso e serve de inspiração para os próximos espaços construídos com o mesmo propósito. “É melhor aprender com já faz e sabe o que está fazendo. Aqui em Lages vocês já estão com uma caminhada há mais de dois anos. Estamos observando o que poderemos trabalhar em rede”, completou.

Assessoria de Imprensa do Orion Parque