Dados divulgados em junho pela Secretaria de Estado da Fazenda de Santa Catarina mostram que Lages é a oitava economia do Estado no ranking de movimentação econômica e arrecadação de todos os 295 municípios catarinenses.

A publicação remete ao valor adicionado da movimentação financeira de 2017, que dá suporte ao Índice de Participação dos Municípios (IPM) no ano de 2019. São parâmetros que refletem o retorno de impostos estaduais ao município, conforme a atuação do setor produtivo.

Pelo levantamento que aponta o valor adicionado e o percentual de retorno de impostos, Lages está à frente de importantes cidades como Criciúma e Brusque, ficando atrás apenas de Joinville, Itajaí, Blumenau, Florianópolis, Jaraguá do Sul, Chapecó e São José.

Ranking das dez maiores economias de Santa Catarina

Posição           Município        Valor adicionado no total de SC em 2017     IPM 2019

1                 Joinville          R$ 18.338.976.238,42                                               8,3571125

2                  Itajaí                R$ 17.501.420.830,87                                               7,5555477

3                    Blumenau        R$ 9.924.739.843,07                                     4,7236303

4                   Florianópolis   R$ 6.261.743.860,18                                     2,8681750

5                   Jaraguá do Sul R$ 6.453.922.817,52                                     2,8029642

6                   Chapecó          R$ 5.293.622.127,77                                     2,4119159

7                    São José          R$ 5.058.663.989,09                                     2,3268719

8                     Lages              R$ 4.325.455.051,05                                     1,9740299

9                      Criciúma         R$ 3.859.506.988,72                                     1,7690801

10                    Brusque           R$ 3.733.223.787,19                                     1,6972541      

 

O que é o Valor Adicionado

O Valor Adicionado é utilizado para a composição do Índice de Participação dos Municípios (IPM) no retorno de Imposto sobre Comercialização de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) para as prefeituras catarinenses. O VA, também conhecido como movimento econômico das cidades, é calculado a partir da diferença entre as vendas e as compras das empresas.

Como é feita a partilha do ICMS

Do total de ICMS arrecadado pelo Estado, 25% é partilhado com as prefeituras. Deste montante, 15% é distribuído igualmente dividindo-se o valor entre o número total de municípios. Os 85% restantes são partilhados de acordo com o movimento econômico de cada cidade. A soma dos dois percentuais (15%/295 + proporcionalidade do Valor Adicionado x 85%) resulta no IPM.

 

Fonte: Secretaria de Estado da Fazenda / Junho 2018