Em Lages, ao que me consta, a prefeitura fez licitação e terceirizou a administração do Aeroporto Federal Antônio Correia Pinto. E repassa mais de R$ 100 mil por mês para uma empresa particular tocar o aeroporto. 

E agora em Correia Pinto, segundo foi divulgado em release enviado pela Assessoria de Imprensa da SDR Lages, o Governo do Estado vai repassar R$ 127 mil por mês para a Infraero "administrar" aquele aeroporto. 

Se todas as obras físicas de fato estão prontas lá em Correia Pinto - e se tudo está devidamente instalado - eu pergunto o que fará a Infraero com R$ 127 mil por mês  para administrar aquele aeroporto? Vai recuperar os estragos no telhado e no forro do terminal de passageiros, que com o tempo foram deteriorando? Vai fazer as roçadas nas margens da pista e nos pátios do terminal? Vai fazer e manter pinturas na pista, meio fios e nas laterais da pista? Quantas pessoas trabalharão por lá? Não seria mais prudente então, ao invés de terceirizar, colocar lá o pessoal da ADR Lages para ocupar aquele espaço e ir "administrando" aquele lugar?

Claro, o pessoal da Infraero tem grande expertise no assunto aeroporto. E isso é imprescindível e importante para homologar a pista e começar a colocar o aeroporto em funcionamento. Minha dúvida é se num ano a Infraero será capaz de fazer isso. E se para isso seriam mesmo necessários R$ 127 mil por mês (R$ 1,5 milhão durante o ano)?

Loreno Siega - Revista Visão