Os repórteres Jotta Damasceno e Marcelo Vargas (Rádio Menina e Imagem TV) subiram o Morro Grande e foram até o lado que não é avistado da cidade, onde está a pedreira, para conferir do alto como está a situação do morro, onde até as árvores já estão caindo das encostas devido a retirada do cascalho.

Do local saem diariamente cerca de 40 a 50 caçambas de pedras.

Autorização 

Lembrando que a Fundação Estadual de Meio Ambiente (Fatma), concedeu para a empresa Britagem Gaspar a renovação da LAO – Licença Ambiental de Operação. Isso significa dizer em termos práticos de que a empresa tem o direito legal de exploração de basalto no Morro Grande por mais quatro anos.

Desta forma, fica assegurado à empresa o direito de exploração até 2021, sem nenhuma interferência de outros órgãos fiscalizadores de Meio Ambiente, e até Defesa Civil.

Defesa Civil

A reportagem da ImagemTV foi até a Defesa Civil para ouvir o superintendente Jean Felipe. O coordenador comentou das providências feitas como a medição  realizada  pelo aparelho chamado sismógrafo, que não apontou riscos. “A Britagem Gaspar está trabalhando de acordo com a legislação e não temos poder nenhum para uma possível interdição”, destacou.

Lixão a Céu Aberto

O que a reportagem não esperava encontrar no local foi uma grande quantidade de lixo depositado em dois diferentes locais. De tanto que já levaram lixo para lá, dá para dizer que há dois lixões a céu aberto no local, coisa que deveria ser proibida e fiscalizada. 

Afinal, se temos um aterro sanitário em Lages. E se todo o lixo deve ser depositado em local adequado, por que essa permissividade? Quem está jogando lixo naquele local? Com a palavra, a Secretaria de Meio Ambiente de Lages. 

Texto: Informações do Whatts App da Imprensa - E  Loreno Siega - Revista Visão