Com apenas 17 anos de existência e um plantel de 250 funcionários, a GTS do Brasil é uma empresa que leva a bandeira de Lages para os quatro cantos do planeta. Mesmo tão jovem, a companhia já é uma referência internacional em máquinas e implementos agrícolas, com as maiores plataformas de colheita de milho e soja do mundo, e exporta as produções para pelo menos 12 países de diferentes continentes.

E para ampliar ainda mais a presença junto a gigantes do mercado como Massey Ferguson, New Holland e John Deere, a GTS planeja para o próximo ano a construção da sua quarta unidade em Lages, com investimentos de R$ 25 milhões e a geração de 100 novos empregos.

O projeto foi apresentado nesta quinta-feira, 5 de outubro, pelo diretor-presidente da GTS, Assis Strasser, ao prefeito de Lages, Antonio Ceron. A empresa acaba de adquirir um terreno de 45 mil metros quadrados às margens da BR-282, em frente à Ekomposit do Brasil, no bairro Santa Mônica, onde construirá uma fábrica para produzir as maiores máquinas plantadeiras do mundo.

“A nossa empresa é muito conhecida fora do Brasil, e vamos continuar crescendo, sem acreditar no pessimismo”, garante Strasser.

O prefeito Antonio Ceron recebeu um pedido do empresário e estudará a melhor maneira de colaborar com o novo investimento da GTS, seja com obras de terraplanagem da futura unidade ou incentivos fiscais. Ceron ficou impressionado com o projeto, elogiou e agradeceu Assis Strasser por contribuir de maneira tão importante com a economia e o progresso de Lages.

“É um orgulho para todos nós. E quem aproveitar bem esse momento, parar de reclamar e produzir, assim como faz a GTS, só vai ganhar e se dar bem”.

 

Fotos: Greik Pacheco - Texto: Assess. de Imprensa da PML