Um dos comunicadores mais prestigiados da serra catarinense, Francisco de Assis Nunes “Chico de Assis” tem meio século de atividades profissionais na imprensa e, por isso, será um dos homenageados do 10º ENCONTRO DA IMPRENSA CATARINENSE, em 05 de agosto, na sede campestre da CDL, em Chapecó. 

A organização é da Associação Catarinense de Imprensa (ACI) e da MB Comunicação. O evento consistirá de solenidade festiva e homenagem aos profissionais de comunicação com 50 anos de atividades.

Estarão reunidos, na ocasião, cerca de 600 profissionais de todo Estado, entre jornalistas, radialistas, publicitários, relações públicas, mídias, docentes, empresários e proprietários de meios de comunicação, representando o caráter multiprofissional da ACI. O evento  faz parte da programação do Centenário do Município de Chapecó.

O ponto alto do Encontro será a homenagem aos profissionais com meio século de profissão, destacam o presidente de ACI Ademir Arnon e o coordenador do evento Marcos Bedin.

 “Chico de Assis” nasceu em Anita Garibaldi (SC) em 13 de agosto. Freqüentou a Academia Nacional de Rádio e Televisão, em Jundiaí (SP). Iniciou a vida profissional na Rádio Difusora Santa Catarina (Bairro Coral, de Lages) onde permaneceu durante 13 anos, exercendo as funções de apresentador e locutor comercial. Foi locutor-noticiarista, escrevendo e apresentando noticiários radiofônicos.

Transferiu-se para a Rádio Clube de Lages onde permaneceu oito anos. Também foi redator do jornal O Planalto. Chegou a gerente de emissora do Grupo SCC (Sistema Catarinense de Comunicação, hoje SBT/SC) durante cinco anos.

Em 1988, transferiu-se para o jornal A Notícia (Joinville), sucursal de Lages. Apreciador da cultura tradicionalista sulina, Chico de Assis manteve durante dez anos uma coluna semanal com crônicas ao estilo gauchesco.

Nos 12 anos seguintes trabalhou no jornal Correio Lageano. Mudou-se para o jornal O Momento onde permanece desde 2006.

Francisco recebeu algumas homenagens, como títulos de Honra ao Mérito das Câmaras de Vereadores de Otacílio Costa e de Lages, além do título de Cidadão Lageano e dois troféus por ter escrito a letra do jingle da Festa Nacional do Pinhão em 1992.

MB Comunicação - Chapecó