Diz a nossa Constituição Cidadã de 1988, em uma de suas cláusulas pétreas (que não podem ser modificadas) que “a saúde é um Dever do Estado e um Direito do Cidadão. E de todos os cidadãos brasileiros, indistintamente". Por isso mesmo – criou-se o SUS – Sistema Único de Saúde. E, por causa desse princípio geral na Carta Magna, todo paciente que precisa de remédios de uso continuado para seu tratamento – se não forem fornecidos pelo sistema público e se essas pessoas tiverem algum tipo de dificuldades ou carências financeiras para adquiri-los, podem recorrer à Justiça fazendo o pedido (aqui em Lages isso é feito através da Defensoria Pública, principalmente).

Estado omisso

Acontece que o Governo do Estado de SC, que deveria fornecer esses remédios mensalmente a esses pacientes através das gerências regionais de saúde, não está nem aí para essas pessoas. Há casos de pessoas que precisariam de três, quatro ou até mais tipos diferentes de medicamentos, mensalmente. E, quando chegam lá para retirar, falta todos os meses grande parte desses remédios. Tenho visto dezenas de pacientes irem até a Gerência de Saúde de Lages com as respectivas ordens judiciais em mãos para retirar os medicamentos e sair de lá de mãos abanando. 

Até quando o Estado de SC será omisso para com esses cidadãos que precisam destes remédios? Descumprir uma ordem judicial, para mim e para você, daria cadeia ou várias sanções. Mas, para o Estado, não dá nada.Até quando?

 

Perguntar não ofende:

Você seria capaz de citar uma grande obra do Governo Colombo entregue até agora para Lages (em mais de 5 anos de Governo)?

 

Ajude-nos a contribuir com este espaço: elogie, critique ou denuncie! ozoide@revistavisao.com.br

Todo mês na Revista Visão