Num passado não muito distante, tivemos um tal de André Rau Ávila que fez estragos enormes na "paróquia" de Lages.... Vcs devem estar lembrados, né.... aquele que cuidava do RH da Prefeitura na administração passada  e que se concedia, a título de gratificação por "bom desempenho", salários de até R$ 80 mil por mês.... (isso aconteceu durante longo tempo - sem que o povo do andar de cima soubesse de nada). 

Agora é um outro André que trabalhou na  Prefeitura de Lages que aparece nos noticiários.... é o tal do André Agostini Moreno (não confundir com Loreno, por favor), parente de Onofre Santo Agostini e de Wanderley Agostini, políticos tradicionais lá de Curitibanos, quem aparece nos noticiários mais recentes da Operação Lava Jato. 

Este novo André, parente inclusive do Governador Colombo, e que ocupa cargo de destaque na Casa Civil lá da Agronômica, é acusado de receber uma "propinazinha" de R$ 1 milhão da empreiteira Odebrecht, no dia 23 de outubro de 2014. Esse dinheiro, segundo as notícias, seria para repassar a alguém ou para outras pessoas.... a quem seria, meu Deus? Para quem ele repassaria? É o que todos estamos nos perguntando?

Portanto, muito cuidado com esses "ANDRÉS" que trabalham, trabalharam ou têm ligações com a Prefeitura de Lages..... São verdadeiras "bombas"......rssss

Loreno Siega - Revista Visão