Por ter uma opinião política definida  e firme (há muito tempo) - e por essa opinião não coincidir neste momento com a grande maioria do povo brasileiro - tenho sido alvo forte nos últimos meses (coisa que se acentua cada vez mais) de intolerância, incompreensão e falta de civilidade por parte de muitas pessoas que pensam diferente de mim.  

Alguns desses ferrenhos críticos, inclusive, se diziam meus amigos (e acredito que ainda o sejam - depois que toda essa turbulência e instabilidade política passar). 

Queria dizer que isso é muito triste, deplorável e detestável. Afinal, vivemos em um país democrático. E penso que a tolerância e a convivência cordial entre as pessoas deve prevalecer sempre - acima de ideologias políticas, raças, credos religiosos, fanatismos esportivos ou qualquer outra coisa. 

Não sou perfeito. Erro. E muito. Mas defendo minhas posições com força e convicção (com palavras ou com textos - não costumando levar desaforo pra casa sem dar uma resposta). Mas jamais cerceei ou isolei amigos porque pensam diferente de mim. Como também jamais fiz corrente para prejudicar quem quer que seja. Com o tempo, fui aprendendo e reconhecendo uma verdade irrefutável. Ninguém é perfeito. Todos temos lá nossas culpas, pontos fracos e "pecados". Por isso mesmo, Jesus, quando lhe levaram a mulher adúltera e lhe perguntaram se deviam apedrejá-la, respondeu: "Quem não tiver pecado, atire a primeira pedra".  

Casualmente, hoje, encontrei esse texto no Facebook. Serviu para que eu refletisse muito. E, gentilmente, compartilho com vocês. Abraços. 

Loreno Siega - Revista Visão