Um dos princípios dos dirigentes da nova indústria de abate de peixes de água doce, a Belo Peixes, de Lages, e da Associação de Criadores de Truta de Santa Catarina (Acatruta) é acompanhar de perto o trabalho dos produtores, especialmente os pequenos e que estão iniciando na criação do peixe. Na tarde desta quarta-feira (20), o diretor da empresa e também presidente da entidade, Vilso Isidoro, esteve pessoalmente na localidade de Pessegueiros, interior de Bocaina do Sul, exatamente para conhecer a propriedade e orientar os criadores.

Os irmãos José Ari e Sebastião Pereira Andrade construíram os tanques e já estão produzindo há mais de um ano. Embora a quantidade dessa primeira safra a ser retirada seja pequena, a indústria vai absorver os peixes, como forma de estímulo aos criadores, que estão regularizados para a comercialização. Esta será a primeira carga a ser entregue. No ano, a produção deste criadouro poderá chegar perto de uma tonelada. “Somente em Bocaina do Sul há cinco propriedades fornecendo truta à fábrica”, salienta o Isidoro.

Por outro lado, o fornecimento de matéria-prima conta também com outros fornecedores na região, o que garante à indústria, comercializar toda a produção que está crescendo gradativamente, dentro do que se previa. Além da truta, o trabalho de estímulo também se concentra na produção da espécie jundiá. O objetivo é fortalecer a comercialização e o consumo de um peixe nativo e bastante conhecido na região. “Já temos criadores de jundiá atuando em suas propriedades. Em breve, deveremos lançar o produto ao mercado consumidor”, conclui o empresário.

Paulo Chagas Vargas - Assess. de Imprensa