Com mais de dois mil litros de óleo de cozinha coletados e destinados corretamente somente no ano passado, os idealizadores do projeto Óleo de Cozinha comemoram os bons resultados. Mas o principal motivo de orgulho é o interesse das instituições em participar da ação. Há três anos, quando o projeto iniciou, ainda era tímido o número de participantes. Neste ano o número saltou de 17 para 42 instituições que abraçaram a causa em prol do meio ambiente.

O projeto é desenvolvido através do grupo Garis em parceria com as Secretarias Municipais de Meio Ambiente e da Educação, do Serviço Social do Comércio (Sesc), Gerência Regional de Educação (Gered) e outras instituições. O principal objetivo é estimular os estudantes e a comunidade a depositarem o óleo de cozinha utilizado em suas residências nos pontos de coleta. A cada semestre a empresa Duramais, licenciada para dar destinação correta ao material, passa recolhendo o óleo depositado. A escola ou instituição recebe o valor de R$ 0,20 a cada litro repassado e o montante é revertido em materiais didáticos ou materiais de limpeza.

A bióloga da secretaria de Meio Ambiente, Michelle Pelozato, diz que as escolas e demais instituições entenderam o propósito do projeto e a importância de evitar que o óleo seja descartado de maneira indevida. “A expectativa é que mais pessoas e instituições participem, e isso é possível mostrando os resultados positivos e estimulando a comunidade. Nossa intenção é que todas as escolas estejam inseridas no processo nos próximos meses”, diz Michelle. Outros estabelecimentos ou órgãos públicos também podem se tornar pontos de coleta voluntários, como associações de moradores e entidades filantrópicas.

 

Escolas engajadas

A maioria das escolas municipais aderiu ao projeto, chegando a 31 unidades engajadas no recolhimento do óleo, além de instituições como o Sesc, o Instituto Federal de Santa Catarina (Ifsc), a Universidade do Planalto Catarinense (Uniplac), Associação Lageana de Assistência aos Menores (Alam) e o Centro de Referência em Assistência Social (Cras V).

No último ano o Centro de Atenção Integral à Criança (Caic) Nossa Senhora dos Prazeres, no bairro Santa Catarina, foi a instituição que liderou as entregas de óleo, chegando a mais de 500 litros recolhidos. “ A coordenadora do projeto no Caic, Elisiane Maluche Silva, diz que este é o resultado de um empenho conjunto de toda a equipe, que mobilizou, além dos alunos, a comunidade. “Fazemos um trabalho de sensibilização dos alunos e pais durante as reuniões pedagógicas e explicamos o projeto e a importância da reciclagem do óleo para a preservação do meio ambiente. Grande parte dos familiares entendeu nosso apelo e contribui com a coleta”, comenta. Parte do material é transformada em sabão, utilizado na própria escola, e o restante é encaminhado à empresa de reciclagem.

Assess. de Imprensa da PML - Foto: Sandro Scheuermann