Inquieto, incansável, criativo, empreendedor ao extremo e querendo buscar e conquistar sempre mais. Assim pode ser definido em poucas palavras o empresário Assis Strasser, 54 anos,  presidente e hoje único dono da GTS do Brasil, índústria lageana com apenas 15 anos e que hoje é uma referência na produção de máquinas e equipamenos para o agronegócio brasileiro e mundial. 

Em entrevista exclusiva à próxima edição da Revista Visão, que estará nas bancas a partir do começo de fevereiro, ele informou que apesar da aparente crise financeira, com previsão de baixo crescimento da economia e do PIB do país, a GTS não vai cancelar projetos de ampliação, expansão, lançamento de produtos e busca de novos mercados. 

Em Lages, em 2015, a empresa vai construir dois novos barracões industriais. Um deles será praticamente uma nova fábrica. E começa a ser montado a partir de agora no terreno que a empresa recebeu da prefeitura onde ficava a antiga Santur, na Cidade Alta. "Lá vamos investir algo em torno de R$ 10 milhões. Será uma fábrica com 8 mil m2 de área construída", contou. 

Outro barracão, no terreno dos fundos da atual sede, no bairro São Paulo, será montado, também muito bonito e moderno. E, se tudo der certo, haverá um terceiro e novo barracão em Lages, também na Cidade Alta, em terreno que a empresa ainda está buscando. "Centralizamos toda nossa produção e fábricas em Lages porque aí podemos acompanhar tudo de perto. É o olho do dono que engorda o boi, como se diz", comparou. 

Confira isso e muito mais na entrevista exclusiva do Assis à Revista Visão na edição de fevereiro. 

Loreno Siega - Revista Visão