Por volta das 20 horas de ontem (12/11), num apart hotel (Rua São Jorge - próximo ao CAV), foram presas três pessoas por policiais do GAECO (Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado). Eles acompanhavam há algum tempo denúncias e investigações movidas pelo Ministério Público Estadual que dava conta de pagamento de propina por parte de uma empreiteira que presta serviços à Semasa, a Viaplan. 

A prisão aconteceu na hora da entrega de uma mala cheia de notas de dinheiro (o valor, ainda não confirmado oficialmente, seria de R$ 165 mil). Haviam dois funcionários da Viaplan (Arnaldo e Julian Scherer dos Santos) e o motorista do prefeito de Lages, Toninho (Antônio Carlos Simas), a quem o dinheiro estaria sendo repassado. A prisão dos três  teria sido feita em flagrante. 

Os três foram conduzidos à delegacia, juntamente com a mala de dinheiro. Em seguida, foi chamado o Secretário da Semasa, Vilson Rodrigues da Silva,  para prestar esclarecimentos já que tratava-se de funcionários da Viaplan, que presta serviços à Semsa. Um detalhe: antes de virar Secretário da Semasa, Vilson Rodrigues era funcionário da Viaplan. Vilson está preso temporariamente, juntamente com os demais. 

Agora pela manhã a Secretária de Comunicação da Prefeitura, Carla Reche, informou que o prefeito já teria afastado de seus cargos o  Vilson Rodrigues e o Toninho até que se concluam as investigações. E quem daria mais detalhes sobre o assunto seria o Procurador do Município, Dr. Fabrício Reichert. 

A GAECO deverá conceder entrevista coletiva à imprensa para dar maiores informações sobre o assunto às 16h30min. A sede da GAECO localiza-se atrás do Fórum de Lages. 

 Leia mais:

Elizeu receberá à imprensa ainda na manhã desta quinta-feira

"Estou tão surpreso e triste com o fato quanto vocês", disse o prefeito de Lages sobre mala de dinheiro

Vereador Marião vai protocolar pedido de CPI na Câmara para investigar Semasa

 "Estamos investigando um esquema reiterado de corrupção", diz promotor sobre operação "Água Limpa"

Viaplan já recebeu R$ 10,2 milhões da Semasa de janeiro a novembro, SEM LICITAÇÃO

Loreno Siega - Revista Visão