Realizou-se nesta manhã, no Posto Raid 1 (rótula próximo ao Cemitério Cruz das Almas), o chamado Dia de Liberdade de Impostos (DLI). 

É uma iniciativa realizada há vários anos em nível nacional, levada adiante pela CNDL, FCDLs dos vários estados e pelo Movimento Brasil com Menos Impostos. 

O grande objetivo é chamar atenção sobre a elevada carga tributária cobrada no país, que chega próximo a 40% do PIB (algo em torno de 5 meses de trabalho de cada brasileiro no ano apenas para pagar impostos aos vários governos - Federal, Estaduais e Municipais). 

Como nos anos anteriores, a CDL Jovem, com vários apoiadores locais (incluindo a ACIL Jovem neste ano), conseguiu 2.250 litros de gasolina, que foram vendidos sem a incidência de impostos, a R$ 1,93 aos 150 motoristas que conseguiram tirar uma senha e pagar no dinheiro os 15 litros disponibilizados para cada veículo. 

Mesmo com a chuva intensa que caiu a noite toda, muitos motoristas saíram de madrugada para ficar na fila es perando para abastecer (a partir das 9 horas).  

Algumas frases de quem foi abastacer:

 “Eu venho aqui pelo segundo ano consecutivo. Claro que quero abastecer meu carro com gasolina mais barata. Mas também estou aqui para protestar. Afinal, se paga muito imposto neste país e não temos quase nada de retorno. Então, estou aqui dando o meu grito e dizendo não a isso”. Kátia Kuchinski - Dona de Casa do bairro da Várzea.

“Os governantes só roubam da gente.  E nos devolvem pouco ou quase nada em benefícios. Então, não é justo que paguemos tantos impostos. Isso um dia tem de mudar”. - Geraldo Alves Padilha, do bairro Popular

"Estou aqui fazendo minha parte para pedir que baixem os impostos. Estamos pagando demais para retornos de menos. Chega desta situação". - Rodrigo de Souza, morador do Sagrado Coração de Jesus 

"Sou solidária a esse movimento e iniciativa. Não podemos ficar de braços cruzados se queremos mudanças. Os impostos estão muito elevados. Mas também vim aqui para conseguir gasolina mais barata". - Janete de Fátima de Oliveira, bairro Passo Fundo.  

Loreno Siega - Revista Visão