O primeiro centro de tecnologia e inovação da Serra, o Parque Orion, em construção no bairro São Francisco, em Lages, está com a metade da concretagem do seu prédio central como um todo (quatro mil metros quadrados) concluída, de acordo com o engenheiro civil responsável Jacson Koester, da JK Engenharia. Nesta semana os operários estarão concretando a laje do primeiro pavimento, serão erguidos os pilares, feitas as formas das ferragens do segundo pavimento (o edifício possuirá quatro andares) e iniciada a execução de alvenarias e de sistema de tratamento de esgoto sanitário do edifício. A concretagem das lajes do térreo e do mezanino está pronta.

Nesta fase, 25 funcionários atuam nas obras. “Metade da mão de obra é de Lages. Profissionais, como armador e encarregado, são de São José, cidade sede da JK”, comenta. Os trabalhos transcorrem de acordo com o cronograma e são acompanhados pela fiscal de obras da Secretaria de Planejamento, Gizela de Bem Zulian.

 

Empresas sinalizam instalação

O diretor de Tecnologia e Inovação da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda, Ricardo Martello, visitou as obras e comenta que a entrega está prevista para janeiro de 2015. “Cerca de 20 empresas assinaram o protocolo de intenções; há muitos anos aguardam este incentivo e um local próprio para ampliarem suas atividades, estenderem sua carta de clientes e oferecerem maior número de postos de trabalho”, ressalta.

Mais cinco empresas deverão ocupar os lotes aos arredores do prédio. A área total do terreno compreende aproximadamente 90 mil metros. O Masterplan (ideia geral de distribuição dos loteamentos) está concluído e o próximo passo será o projeto técnico, através de escolha de empresa a passar por processo licitatório.

O desejo, conforme Martello, é fomentar a expansão de empresas já existentes em Lages, como a NDDigital e a Softecsul, dos segmentos de tecnologia, inovação, biotecnologia e telecomunicações. 

Como será o Orion

O prédio onde estará concentrado o centro administrativo do Orion possuirá empresas residentes, incubadora de empresas, elevador panorâmico, auditórios modulares com capacidade para 400 lugares (com ajustes de espaço através de paredes divisórias, dependendo do evento), centro de Pesquisa e Desenvolvimento, salas de treinamento e de inclusão digital, estrutura de apoio, áreas de convivência, praça de alimentação e o Museu da Tecnologia, além de amplo estacionamento com capacidade de 347 vagas. O Parque Orion é um dos 11 Centros de Inovação que serão instalados no Estado.

Assess. de Imprensa da  PML - Fotos: Toninho Vieira