A Planalto Confecções expandirá suas atividades a partir de junho, mês previsto para inauguração de sua nova fábrica do vestuário feminino e masculino. O terreno,  no bairro São Francisco,  foi doado pela prefeitura. As obras começaram em janeiro deste ano. Foram 6.500 metros quadrados, sendo 1.500 para Área de Preservação Permanente (APP) e 3.800 para o barracão, que tomou quase a totalidade do terreno; 90% serão para a parte fabril e o restante para escritório, refeitório, banheiros.

O almoxarifado de aviamentos, que hoje está em Tijucas (SC), será centralizado em Lages. Os investimentos próprios contabilizam R$ 3 milhões, fazendo com que o espaço seja quatro vezes maior do que a atual sede da empresa, no bairro São Cristóvão. O secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda, Luís Carlos Pinheiro Filho, visitou as obras nesta sexta-feira (28).

A Planalto fabrica roupas do tipo “modinha” e outras, com estilo noturno: blusas, regatas, calças, shorts, vestidos, camisetas, camisas polo. São peças do vestuário com etiqueta das marcas DeLiz (DLZ), que tem como garotos-propaganda os atores da Rede Globo, Bruna Marquezine e Caio Castro, além da Econatural, Nowar e Fido Dido.

 

A produção atual, de sete mil peças por semana, deve chegar a 15 mil com a nova estrutura. “A demanda da ‘modinha’ aumentou e precisamos seguir as tendências do mercado, com linhas para todas as estações do ano”, reitera o empresário Jeann Pelizzaro. Há três anos a linha fabril está situada na rua Piauí, em barracão locado, com mil metros quadrados, um espaço já defasado diante da expansão das atividades e alto número de operárias, que chega a 180.

450 costureiras no novo endereço 

“Na semana que vem, mesmo com espaço apertado e com 13 células de produção, pretendemos contratar mais 20 costureiras, profissionais com experiência”, adianta Pelizzaro. A partir de junho, quando a obra deverá ser inaugurada, o número de trabalhadoras deverá chegar a 450 em turno único. “A projeção de abertura do segundo turno é para 2016. Aí serão 450 em cada”, calcula Jeann.

 

Assess. de Imprensa da PML - Fotos:  Sandro Scheuermann