O anúncio de que o preço do pedágio para quem trafega pela BR-116 vai subir, desagradou muitos motoristas, especialmente os que usam com frequência a rodovia. Os novos valores passam a valer a partir da próxima quarta-feira (19). A tarifa básica, por exemplo, que era de R$ 3,30 passa a ser de R$ 3,60.

O farmacêutico Carlos Munhoz de Paula mora em Lages, mas trabalha em Correia Pinto. A passagem pelo pedágio da BR-116, alguns quilômetros antes de chegar a Correia Pinto, é obrigatória para ele, que percorre o trajeto em média cinco dias por semana, duas vezes ao dia.

Com o reajuste, Carlos vai desembolsar, no mínimo, R$ 36,00 por semana somente com pedágio. “Percorro somente 15 quilômetros de asfalto e vou gastar R$ 7,20 por dia. E o pior é que sou obrigado a fazer este trajeto porque a outra via de acesso a Correia Pinto, sequer é pavimentada”, comenta.

De acordo com a Autopista Planalto Sul, concessionária que administra a BR-116, o reajuste será praticado nas cinco praças de atuação da concessionária e a base de cálculos é o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA).

A Autopista é a responsável, desde 2008, pelos 412,7 quilômetros da rodovia, fazendo a ligação da capital paranaense à divisa entre os estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. De acordo com a assessoria de imprensa da concessionária, a concessão para administrar e conservar o trecho por 25 anos foi obtida através de leilão, realizado em outubro de 2007. O contrato foi assinado em 14 de fevereiro de 2008 e prevê investimentos de R$ 1,9 bilhão durante sua vigência, que é de 25 anos, incluindo a operação da rodovia.

 

Informações CL+